Como é morar no Vale do Silício?

silicon-valley

Duas Décadas

Era um domingo em 1992 quando recebi uma ligação. “Quer ir morar na California?”. Em 93 me mudei de São Paulo, onde nasci e cresci, para o Vale do Silício. Vim para ajudar a estabelecer uma empresa brasileira aqui, com a idéia de passar dois ou três anos nos EUA. Duas décadas depois, ainda estou aqui.

Certas experiências são pessoais e intransferíveis. Morar em um lugar é uma dessas experiências, pois depende da perspectiva, história e atitude do morador. Então para saber como é a vida aqui, o melhor é vir me visitar (razões para visitar >>, tour de um dia >>).

Mas nem todo mundo tem essa oportunidade. Então vou apresentar minha perspectiva. Esse post não é sobre tecnologia ou empreendedorismo, mas sobre a visão mais pessoal de um brasileiro morando aqui a tanto tempo.

Pronto para mudar para cá? Como funcionam os vistos de imigração? >>

Onde fica esse tal de Vale do Silício?

O Silicon Valley cobre a área ao sul da Bahia de San Francisco. O nome vem de Silício, a matéria-prima para os chips que iniciaram a revolução digital, mas hoje e associado a tecnologia em geral. Cobre várias cidades parte da região da “Bay Area”, incluindo San Jose (Cisco), Santa Clara (Intel), Cupertino (Apple), Mountain View (Google), Palo Alto (Facebook), Redwood City (Oracle). No mapa acima, mas ou menos desde San Mateo na península até Fremont no lado leste da Bahia.

O coração do Vale do Silício é a cidade de San José, que tem cerca de 1 milhão de habitantes e fica 70km (uma hora de carro) da mais famosa, mas menor, San Francisco.

Como as pessoas vivem no Vale do Silício?

Fora de San Francisco (que não é parte do “Vale”), a vida é suburbana. São várias cidades emendadas. As pessoas vivem em casas térreas e as áreas residenciais são espalhadas com ruas largas. Algumas “freeways” cruzam a região (101 na peninsula, entre San Jose e San Francisco, 237 no Sul, e a 880 de San Jose a Berkeley no lado Leste da Bahia).

Uma das maiores surpresas quando cheguei aqui e fui para um shopping: o burburinho não era em inglês. Demograficamente, os americanos são minoria no vale. A maior parte da população é formada por imigrantes de outros paises: México, Índia, China, Vietnam, Filipinas, etc. Viver no vale é um exercício de diversidade e tolerância, com gente do mundo inteiro. Essa experiência é visível na variedade de restaurantes, arquitetura, vestuário, etc.

75% dos meus amigos trabalham diretamente com tecnologia, são engenheiros, programadores de software, vendedores de tecnologia, etc. Outros 20% trabalham em outras áreas, mas normalmente em empresas de tecnologia. Como dá para imaginar, isso é bom e ruim ao mesmo tempo.

Embora dependa da situação de cada um, em média a vida nos EUA é materialmente mais confortável do que em uma cidade como São Paulo. Os espaços são maiores, mais confortáveis, menos congestionados, mais seguros. Para mais informações sobre o padrão de vida (de um desenvolvedor de software), veja “Quanto custa morar ou passar um tempo no Vale do Silício?”>>

Ninguém sabe o tamanho exato da comunidade brasileira na área por que ela inclui imigrantes sem documentação e imigrantes transitórios que vão para ficar por tempo limitado. Mas existe uma comunidade significativa emergente de brasileiros ligados a tecnologia do Vale do Silício.

No trabalho, a cultura é anti-mainstream e casual. Hierarquia e estrutura são menos importantes que no resto do mundo. Não se usa gravata. Não é incomum encontrar gente de chinelo de dedo no escritório.

Por que a tradição em tecnologia?

É difícil de isolar um motivo para o sucesso sustentado do vale na área de tecnologia. Tem a ver com a diversidade (gente do mundo inteiro vem ao vale para “dar certo”), as Universidades (Stanford em Palo Alto, UC em Berkeley, etc), o ecossistema (venture capitalists, empreendedores, mão-de-obra qualificada, infraestrutura).

E tem terremoto mesmo? É verdade que nunca chove?

Tem dezenas de tremores pequenos todo dia. O Vale do Silício é cortado de norte a sul no lado da peninsula pela San Andreas fault e no lado leste pelas Hayward e Calaveras faults, as linhas de deslocamento da crosta terrestre, onde a placa do Pacífico está sendo empurrada para baixo da America do Norte.

Onde eu moro, em San Jose, alguém atento sente um tremor (a mesa balança) uma vez por mês. O último terremoto grande, onde as coisas caem da prateleira, foi em 1989 (Loma Prieta). Então, eu que moro no Vale do Silício desde 1992, ainda não peguei “the big one”. Para ver e acreditar: Mapa de terremotos na California essa semana >>

Entre Abril e Outubro, as pessoas marcam casamentos ao ar aberto sem se preocupar muito pois nunca chove. As chuvas ocorrem no inverno (Novembro-Março). A temperatura varia de próximo de zero nas manhãs frias de inverno até mais de 40C nas tardes quentes de verão. Nunca neva. A umidade do ar é sempre baixa, então a sensação de frio ou calor é menos extrema que em São Paulo.

Se eu for visitar, o que mais está por perto?

Veja: Tour do Silicon Valley >>

Saindo de San José, que é mais ou menos o coração do Vale do Silício…

San Francisco, que é mais famosa mas menor que San José, está uma hora ao Norte, pela Hwy 101.

Santa Cruz, que fica no litoral, está meia hora ao Sul, pela Hwy 17.

A California é famosa também pelas regiões vinícolas. A região de Santa Cruz Mountains produz Pinot Noir aqui mesmo no Vale. As mais famosas Napa e Sonoma estão 2.5 horas ao Norte.

Yosemite National Park, fica 4 horas ao Leste. Na mesma direção, Sacramento (capital da California) fica 2 horas de carro, Lake Tahoe (esqui, montanhas, neve), 4 horas.

Do que um Brasileiro sente falta?

Quando eu cheguei aqui em 1993, não tinha contato com outros brasileiros, então sentia muita falta de gente. Mas nos últimos anos a população de brasileiros exilados cresceu e se organizou, então hoje é muito fácil encontrar e conviver com brasileiros. Churrasco? Feijoada? Jogo de Futebol? Baile de Carnaval? Guaraná Antarctica? Sim, tem tudo isso aqui.

Embora se consiga comprar quase qualquer coisa aqui, a maioria dos brasileiros vão sentir falta de alguns pratos e comidas típicas. Não existem muitos restaurantes brasileiros na região e os poucos que existem tendem a ser churrascarias (tem um Fogo de Chão em San Jose, e Espetus, outra churrascaria autêntica em Burlingame e San Francisco).

E tecnologia, onde está?

Para ver onde estão algumas das empresas de tecnologia que você conhece, veja o mapa interativo em Google Mapas com instruções passo-a-passo. Clique em “See Larger Map” abaixo.


antique-squareMarcio Saito foi de São Paulo para a California para ajudar a estabelecer a Cyclades (a primeira empresa brasileira de tecnologia a se estabelecer no Vale) 20 anos atrás e acabou ficando. Hoje participa do ecossistema empreendedor como investidor, conselheiro, mentor, empreendedor. Me conheça.
Anúncios