Etiqueta de negócios no Vale Do Silício

business

Vou para o Vale e quero fazer reuniões aí…

O Brasileiro que quer ser global precisa se comportar global.

Quando meus amigos Americanos tem uma viagem de negócios com reuniões no Brasil , eu digo “Relaxe, porque as coisas andam mais devagar. Fora isso, faça o que você faria em uma reunião aqui e tudo vai terminar bem”.

A verdade é que a cultura de negócios é muito parecida entre o Brasil  e os EUA (o Vale do Silício tem peculiaridades adicionais). Fora o idioma, é difícil distiguir as diferenças olhando superficialmente.

Depois de mais de 20 anos aqui, eu gosto mais do modo Americano de conduzir discussões. Embora etiqueta seja apenas um protocolo comum (diferenças não são necessáriamente melhores ou piores), eu considero a etiqueta no Vale mais madura da que observo no Brasil.

Então o meu conselho para Brasileiros é um pouco diferente: É verdade que as diferenças são pequenas, mas é importante prestar atenção ou elas vão interferir negativamente com os seus objetivos de negócios.

Solicitando uma reunião

“Gostaria de te encontrar para bater um papo…”

No Vale do Silício as pessoas normalmente são abertas a um primeiro encontro informal, mas a atitude nos EUA é a de que reuniões de trabalho tem que ter um objetivo. A primeira reunião pode ser “solta”, mas somente a primeira e olhe lá.

Se você já se encontrou com uma pessoa (em uma ocasião informal, em um evento), quando pedir uma  reunião, precisa ter uma agenda clara e articulada. Você precisa saber o que vai pedir ou oferecer e quais são as ações que você espera depois dela. Se você não disser, a outra pessoa vai perguntar “Então, o que você quer que eu faça a respeito desse assunto?” Se você não tiver ações específicas, a conversa acaba imediatamente.

Reunião aqui tem agenda, é objetiva e eficiente. O bate-papo é limitado aos primeiros dois minutos da reunião. Daí vira business e termina com ações específicas e concretas (nada de “a gente vai se falando…”).

Seja pontual

“Estou chegando em mais 10 minutos…”

Estou cansado de receber pedidos de encontros-favores de empreendedores brasileiros e ter que esperar. Reunião tem hora para começar e para terminar. Óbvio, não? Deveria ser. Mesmo que você já se ache pontual no Brasil, preste atenção pois provavelmente não é.

Chegue 10 minutos antes e anuncie a presença no horário marcado. Esteja preparado para a reunião, não tem “uns minutinhos” para encontrar os slides ou imprimir o documento. Imprevistos acontecem e se você se atrasar por um bom motivo, ligue e avise que vai se atrasar e se desculpe profusamente. “Foi o trânsito” não é uma desculpa válida.

Ser pontual aqui não só é uma demonstração de respeito ao tempo alheio, mas também reflete a atitude relacionada a outros compromissos de negócios.

Detalhes logísticos

“4 de Maio ou 5 de Abril?”

O fato dos Americanos escreverem a data “errado” é fonte de muita confusão. Dia 4 de Maio é 05/04. Na dúvida, para evitar confusões, escreva “May, 4th”.

Aqui, tem gente que não entende a notação de 24 horas. Então não tem “15h00”. Escreva 3PM. Note que os EUA cobre 4 fusos (3PM na California é 6PM em New York). Note que a diferença de fuso entre Brasília e California varia de 4 horas (durante o verão no hemisfério Norte) a 6 horas (durante o inverno no hemisfério Norte).

Mantenha um perfil atualizado no Linkedin. É lá que eu vou verificar o perfil da pessoa com quem vou me encontrar.

Seja Politicamente Correto

“Prazer em conhecer…”

O aperto de mão é o mesmo independente do cargo, importância ou sexo da outra pessoa.

A tolerância a qualquer insinuação, mesmo que “de brincadeira”, a racismo, sexismo, discriminação religiosa, corrupção, etc. é muito menor que no Brasil. Aqui, fazer piadas é visto como uma expressão de tolerância a comportamentos que não devem ser tolerados.

Ser “políticamente correto” não é apenas uma regra social, mas uma atitude cultural.

Seja Autêntico e Confiável

“Nosso site tem uma audiência de 21 mil pessoas…”

Não diga exageros e meia-verdades (ou pior, mentiras inteiras) para convencer ou atrair interesse indevido. Pode funcionar temporariamente, mas ninguém inteligente investe, estabelece uma parceria ou compra algo baseado em um factóide ouvido em reunião e sem verificar as coisas básicas. E se o fizer, vai ser apenas uma vez.

Uma vez meias-verdades se tornam aparentes, você perde credibilidade (“business accountability” é mais importante aqui). Isso vale para coisas fundamentais e para detalhes pequenos. Pode ser parcial e exagerar um pouco para vender o meu peixe? Pode, mas assuma que tudo o que disser vai ser verificado e tenha certeza que você não vai passar vergonha (e perder a credibilidade).

Diga a verdade, cumpra o que promete, entregue no prazo. Já faz? Pensou: “Mas que coisa, nem precisa falar essas coisas…”? Preste atenção porque a referência aqui é outra.


antique-squareMarcio Saito foi de São Paulo para a California para ajudar a estabelecer a Cyclades (a primeira empresa brasileira de tecnologia a se estabelecer no Vale) 20 anos atrás e acabou ficando. Hoje participa do ecossistema empreendedor como investidor, conselheiro, mentor, empreendedor. Me conheça.
 
Anúncios